o mais lindo beijo que eu não dei .~*


o celular toca. pela primeira vez não me sinto tentada a joga-lo pela janela por me acordar tão cedo. estava na hora. a ansiedade era gigante. só de imaginar sentia palpitações e calafrios deliciosos.

tomei um banho rápido, não me demorei muito por medo de perder o ônibus. juntei minhas coisas e fui. na bolsa somente  necessário: um livro para me distrair durante a viagem, fones de ouvido caso do meu lado sentasse algum inconveniente analfabeto incapaz de ler a frase "Shh. I'm in book mode." estampada no meu velho e surrado moletom e o celular, para que minha mãe soubesse que eu estava viva através das mensagens enviadas de uma em uma hora (condição imposta por ela para que eu fosse sozinha para uma cidade que eu até então não conhecia direito).

a viagem foi rápida, ou talvez eu tenha dormido, não me lembro bem. sei que passei uma boa parte do tempo relendo as mensagens enviadas por ele. estava ansiosa, esperei por esse momento como uma criança espera por uma festa de aniversário. várias vezes nos programamos. ele ligava, a gente combinava tudo, marcávamos um lugar tranquilo, distante dos olhares dos conhecidos. chegou o grande dia, estaríamos a sós para que então pudéssemos saciar toda o desejo presente naqueles dois corpos.

diversas foram as vezes que imaginei esse dia. um café à tarde, ele lia pra mim enquanto eu admirava seu rosto. o traço marcante de sua sobrancelhas e seus olhos, que dessa vez estariam focados nas páginas de um livro qualquer e não mais nas minhas bochechas ruborizadas por algum comentário que ele teria feito. qualquer coisa que ele diz me enrubesce, como se eu nunca me acostumasse com seus elogios. ao final da tarde iriamos para um hotel qualquer de beira de estrada e faríamos amor ao som de um rádio relógio com canções ao mesmo tempo melancólicas e nostálgicas. perdi a conta de quantas vezes acordei no meio da noite, ainda sentindo seu toque e o calor de nossos corpos unidos. tamanha era a frustração ao perceber que tudo não tinha passado de um sonho e que estava longe daquilo tudo se tornar real.

mas, sem dúvidas, o que eu mais imaginei durante todo o tempo foi o nosso primeiro beijo. como seria? que gosto teria? seria rápido, como um beijo adolescente sedento de paixão e completamente inexperiente? seria calmo, terno, como o beijo daqueles que se conhecem há tempos e se amam a cada dia mais, como se realmente existisse isso de 'feitos um para o outro'? será que ele tem mal-hálito?

olho as horas. confiro pela terceira vez. ele está atrasado. ok, meia hora apenas. talvez tenha perdido o ônibus, talvez também tenha dormido tarde por culpa da ansiedade e perdido o horário. me perco mais uma vez em pensamentos, imagino-o chegando, ultrapassando os portões e correndo em minha direção, nosso abraço apertado carregado de carinho e de um sentimento até então indefinido. paixão? amor? eu não sei dizer o que sinto. qual o nome se dá ao que se sente quando uma certa pessoa te abraça e você não quer deixa-la nunca mais sair dali?

o celular vibra. mensagem. deve ser ele, deve estar aqui e não me viu ainda. me desespero ao vasculhar o interior da bolsa em busca do pequeno aparelho. enfim o encontro e em poucas palavras o chão some sob meus pés: "me desculpe, precisamos conversar, eu não posso ir. tenho outra pessoa. me desculpe mesmo, posso te ligar?" me concentro. fecho os olhos pressionando fortemente as pálpebras, mas ao abri-los novamente, percebo o obvio. no final das contas eu queria apenas ter sonhado mais uma vez.

-------------------------------------------------------------------------- 

* muito obrigada aos comentaristas e seguidores. aos antigos e novos, eu amo vocês por cada palavrinha que deixam aqui! <3

** ganhei um marcador no sorteio do blog da Cibele, primeira vez que ganho alguma coisa em sorteios! sorte no jogo, mas enfim, não há nada de autobiográfico no post acima, certo, crianças? hahaha

*** muito obrigada pelos selinhos, Emmy, querida! vou postar e responder as perguntinhas no próximo post! obrigada mesmo por lembrar de mim, sua linda!  =)

6 comentários

  1. Nossa, tao lindo e tao triste.
    E mais, ja passei por isso nao exatamente dessa forma... ahaha.
    Mas ja 'sonhei' tanto com essa situacao.. e nunca realizou!
    So realizou mesmo, qdo encontrei o amor da minha vida ;] e como eu digo: se nao aconteceu antes, eh pq nao tinha q ser.

    Desculpa a ausencia Kelly, voltarei E comentarei mais :D

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. "Shh. I'm in book mode." vou fazer uma camisa com essa frase, sério ;)
    O final da história me surpreendeu, eu não esperava que fosse um final triste. É horrivel quando você espera muito de alguma coisa e não acontece nada daquilo do que você esperava.
    Muito legal o texto Kelly!
    Se essa coisa de "sorte no jogo azar no amor" for verdade, nunca vou conseguir um 'amor' decente, afinal, ninguém ganha de mim em jogos de cartas! >.<

    ResponderExcluir
  3. adorei o texto, é triste e lindo ao mesmo tempo. e agora percebi que preciso urgentemente de um moletom escrito "Shh. I'm in book mode." rs, serio mesmo!
    e como eu me esqueceria de você?! seu blog é muito lindo e inspirador pra mim :)
    beijos chuchu!

    ResponderExcluir
  4. Achei bem triste, mas é um texto bonito e nos faz pensar e questionar tantas coisas né? gostei mesmo.
    beijinhos :**
    visita lá?

    ResponderExcluir
  5. Oie tudo bem miga?
    Gostei do texto, apesar de ser um pouco triste mas gostei, achei muito lindo =)
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. oi querida,
    :((( achei que ia ter um final feliz. É dificil se apaixonar sem fazer expectativa ._.' adorei o texto!
    boa semana
    ;*

    dudsparrow.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá, queridos! Muito obrigada pela visita!

Seu comentário será sempre retribuído, desde que ele não seja ofensivo ou contenha apenas propaganda. Não custa ler a postagem antes de dar sua opinião, custa? Se custar, me fale o preço e eu vou analisar bem se sua visita vale o que você tá pedindo. rs

No mais é isso, me sigam e eu sigo de volta. ^^

beijos, beijos

Topo