Nao se engana, não .~*



Outro dia, sentados na varanda da casa do meu primo, ouvimos aquela velha e famosa frase que muito homem por aí adora dizer: "Mulher gosta mesmo é de carro. Se você não tem um, trate de comprar, senão você não arruma mulher, não, amigo."

Sorri comigo mesma e concordei (em partes). Mulher gosta de carro sim. De moto também. Bicicleta, patins, skate. Mulher gosta de movimento, de um bom tênis pra correr, porque mulher não gosta é de ficar parada.

Mulher gosta de boa música nos fones quando tá no ônibus, indo pra faculdade. Gosta de sentir o vento no rosto enquanto dirige aquele carrinho, que talvez seja do seu pai, da sua mãe, porque ainda não teve condições de comprar o seu. Mulher gosta de se sentir livre, de viajar, mesmo que seja em seus pensamentos, enquanto espera o metrô que tá chegando.

Mulher gosta de estabilidade. Emocional e financeira. Gosta de se sentir segura, seja onde e com quem for. Gosta de amizade verdadeira, de rir, comemorar, de chorar junto quando for preciso.

Mulher também gosta de sair, de se sentir importante, bonita, amada. Mulher gosta mesmo é de sair da rotina, mas de voltar pra ela quando o ritmo fica muito frenético. Mulher gosta de balada, de sexo, de ser dona de si, dona do mundo. De dormir no sofá quando o cansaço não permite que ela chegue até o quarto.

Mulher gosta de maquiagem nova, de roupa barata e de chopp gelado no fim do dia. Gosta de samba, de rock, MPB, funk e forró. Gosta de sair sem ter medo de assédio. Mulher gosta da liberdade. Do que a vida tem de melhor a oferecer.

Pensei naquele dia, ao ouvir aquela frase, em questionar e dar minha opinião, mas desisti no mesmo momento. Infelizmente tem muita gente ainda que não sabe do que realmente a mulher gosta.

Mulher gosta sim de carro, mas não do seu. De você ela só quer a companhia. Se não tiver carro, vem de ônibus. Ou melhor, vamos de ônibus! De trem, Uber, táxi, moto, à pé. Mas, vamos! Ela só quer ir. Ela só não quer ficar. Ficar, só se for tranquila!

Mulher gosta de tranquilidade, amigo! De sinceridade, lealdade e companheirismo. Mulher gosta de caráter. De homem que não mente. Mulher gosta de atitude.

Mulher gosta mesmo é de dividir potão de açaí em dia quente. De deitar na grama do parque e olhar pro céu estrelado. De dormir de conchinha na metade daquele filme na Netflix.

Entendam de uma vez por todas, carro é meio de locomoção pro trabalho. Carinho e atenção são meios de transporte pro coração da gente. ❤️

o amigo .~*

Para a Família Ribeiro
Em especial, ao Sr. Aparecido


O dia estava lindo. Mais um dia ensolarado. Férias, era disso que precisávamos, definitivamente. Nos acostumamos tanto com a rotina do dia-a-dia, que parecia um sonho tudo aquilo estar acontecendo. Essa foi nossa primeira viagem à praia. E eu não tenho palavras pra definir tamanha felicidade.

Entre guarda-sóis e tendas, fomos andando pela areia, procurando um espaço onde pudéssemos colocar nossas cadeiras. Crianças corriam em direção ao mar, algumas outras construíam castelos de areia branquinha, enquanto eram observados pelos seus pais. Idosos passeavam de mãos dadas, descalços, com a única preocupação de se protegerem do sol, que estava escaldante! Encontramos um lugar vago e nos sentamos de frente para o mar. Aquela imensidão azul de beleza inexplicável. Surreal. 

Com os pés sobre a areia branca e fina, sentia a água fria tocar meus dedos cada vez que ela se aproximava em pequenas ondas. O barulho do mar era capaz de bloquear qualquer outro som da praia. Olhei para o lado e vi meu filho mais velho admirando o mar. Senti uma onda de felicidade e realização que não consigo explicar em palavras. Acho que, no fim das contas, ser pai é isso, é não saber colocar em palavras o que o coração é capaz de sentir.

Me lembrei de tempos atrás, das dificuldades que passamos, da luta diária para conseguir alimentar e vestir meus filhos. Vislumbrei minha esposa. Mulher de fibra, esposa de verdade. Que sempre viveu por mim e pelos filhos. Que sempre esteve ao meu lado, na alegria e na tristeza, como juramos no dia do nossos casamento. É incrível como as pessoas de hoje em dia não dão mais valor às coisas simples. Vivem tão preocupadas em alimentar o próprio ego, ou afundadas em suas próprias frustrações, que se esquecem de aproveitar a melhor coisa da vida: a família.

Olhei novamente para o mar, meus netos sorriam enquanto pulavam as ondas que vinham ao seu encontro. Ao lado deles, minha esposa, meus filhos. Três gerações da minha família reunidas, felizes. Era tudo o que eu poderia querer. Sempre serei grato a Deus por isso.

Senti uma mão tocar meu ombro. "Vamos, está na hora." Acordei do meu breve devaneio. Olhei para o lado e percebi que já não via mais as crianças correndo pela areia. O barulho das ondas eu já não ouvia mais. Procurei pela minha esposa, meus filhos e netos, nada. Eu já não os enxergava. Me senti aflito. O homem que tocou meu ombro agora segurava minhas mãos. "Se acalme! Eles estão bem. E você também está!" E aquele homem, de vestes brancas, cabelos e barbas longas, sorriu pra mim. Um sorriso que acalenta, sorriso que abraça a alma.

E então percebi onde eu estava e quem estava ali me fazendo companhia. Não perguntei pela minha família, sabia que eu já não estava mais entre eles, mas isso não me deixou triste, pelo contrário, soube naquela breve lembrança do dia na praia que minha missão havia sido cumprida junto a eles. Eu estava bem. Eles estavam bem. E um dia, no tempo de Deus, estaríamos juntos novamente. E essa certeza aqueceu minha alma. Fomos então, eu e meu mais novo amigo. O nome dele? Acho que não preciso dizer, você já sabe quem é. 

Topo