o segundo capítulo .~*



uma continuação ao post uma cerveja, por favor!

nunca na minha vida acho que sorri tanto. depois do café ele me contou tudo. a forma como eu dancei em cima do balcão, o streap que ele interrompeu logo no início, as cantadas mal elaboradas que eu despejei sobre ele juntamente com a taça de campari., a terceira da noite. eu bebo campari?

- quer mais café? se quiser eu busco lá em baixo. - disse leo e, pela primeira vez desde a noite anterior, prestei atenção ao tom rouco e ao mesmo tempo suave de sua voz.

- assim está bom, obrigada, não quero abusar de você. - disse, sorrindo, forçando uma timidez que, ele  bem sabia, não existia. no entanto, somente a timidez era falsa. meu sorriso, minha felicidade nunca antes havia sido algo tão real e presente.

- não é abuso nenhum e, ainda que fosse, hoje eu te permito. você é minha hóspede, pode fazer de mim o que quiser. - disse com um sorriso travesso no rosto. sua voz dessa vez soou mais firme, como se estivesse mais à vontade.

- posso mesmo abusar? olhe que sou boa nisso! - leo me olhava de um jeito único, avaliando cada expressão em meu rosto. de certa foma isso me deixava inquieta, mas por outro lado eu gostava. ninguém nunca havia antes me olhado daquela forma, como se eu realmente fosse especial, como se ele sentisse o mesmo que se passava dentro de mim naquele momento. olho para a sua estante, ao conhece-lo na noite anterior não imaginava que gostasse de literatura. olho diretamente em seus olhos e então decido arriscar.

- já que estou no meu direito, então quero que faça algo. - analisei seu rosto que passou de sério para curioso - quero que leia para mim.

não consigo descrever a expressão no rosto dele quando eu disse a última frase. um misto de susto, incredulidade e diversão transparecia no seu sorriso que, naquele momento, estava mais lindo que nunca.

- mas.. ler? ler o que? como? - disse leo, me olhando como se eu tivesse acabado de te pedir em casamento.

- ler para mim. alguma coisa, leo, qualquer coisa. ou aqueles livros todos que você tem ali na verdade não são seus? já sei! você é casado e aqueles livros são da sua esposa e - me levantei apressada, olhei para o meu pulso onde não havia um relógio, olhos arregalados, procurando pelas minhas peças de roupa espalhadas pelo chão - oh, ela já deve estar chegando do trabalho, preciso ir!

leo ria. e eu sorri junto com ele. era incrível como eu me sentia à vontade ao seu lado, como se nos conhecêssemos há anos e não apenas há algumas poucas horas. como ele não se manifestou diante do meu pedido, fui até a estante. corri os dedos pelos vários títulos, admirando as lombadas . sempre fui uma amante da literatura, dos livros. gosto de admira-los mesmo depois de lidos. quando termino um livro, ao coloca-lo de volta à estante pratico uma espécie de ritual. antes de devolve-lo, confiro todas as outras obras que estão na prateleira, lendo título a título até encontrar o local de onde o livro que acabei de ler foi retirado e então, preencho o espaço vazio com calma e devoção. talvez eu seja meio louca.

muito interessante. - disse leo. escolhi Larsson, A Rainha do Castelo de Ar. admirei a capa, me perdendo em devaneios. o que eu sentia ali naquele momento, no quarto de alguém que eu conhecia a tão pouco tempo era algo novo, intenso. meu olhar estava fixo na capa e eu estava como a ilustração à minha frente, tão bem elaborada e impactante. eu estava em chamas.

muito interessante sua escolha. - disse leo novamente, me trazendo de volta para o seu quarto.

esse livro é indescritível. - disse, apontando para o livro em minhas mãos. - eu me casaria muito facilmente com o Larsson. - sorri ao ver sua cara de espanto.

se ele não tivesse morrido há algum tempo, talvez até eu lhe desse uma chance. um gênio. - disse leo, com grande admiração. e, por um momento, me perguntei quem teria mais chance com Stieg Larsson, eu com meu rosto sem expressão ou leo, com aquele sorriso que entorpecia a mente de qualquer um. eu não era páreo para ele, não mesmo.

me aproximei, entregando-lhe o livro, que logo folheou, a procura de algum trecho em especial. - por que isso, hein? eu não sou um bom leitor. não em voz alta. - disse, enquanto passava página por página, parando apenas para me olhar quando demorei a responder.

- é legal ouvir a história pelos outros. a sua forma de ler, seu ritmo, a pausa nas vírgulas e pontos, mostram um novo ângulo da cena. - e mais uma vez ele me olhava daquela forma, como se quisesse entrar em minha mente, descobrir quais eram meus medos e desejos.

e ele leu para mim. por um momento o observei, deitada sobre seu colo. por fim, fechei os olhos, na tentativa de evitar as pausas durante a leitura. aceitei a desculpa de que ficava constrangido em ler assim, em voz alta para alguém.

pela primeira vez não consegui entrar na história de verdade. apenas ouvia sua voz, a forma como pronunciava os s e r, de uma forma mais demorada quando no final das palavras. o tom grave nas frases mais fortes também era algo bem característico. eu estava em êxtase. desejei parar o tempo e ficar ali pra sempre, só ouvindo sua voz e o som das páginas sendo passadas uma a uma.

passamos o dia inteiro juntos. perdi a conta de quantos livros foram retirados da estante, quantas páginas foram lidas e quantos trechos foram repetidos, lidos por ele e por mim logo em seguida. perdi também a conta de quantas vezes fizemos amor. uma, duas? cinco? não sei. sei apenas que esse foi um dos dias mais lindos que já tive. um dos poucos em que eu realmente me senti acompanhada. daqueles em que tudo está completo. em que se sente plena.

quando se acostuma viver sozinha passa-se a acreditar que não existe vida além daquela que você leva. a rotina às vezes chega a ser tão intensa que te torna alienada, te faz esquecer que existem outras pessoas do lado de fora de sua bolha, e mais, que essas pessoas te fazem falta, mesmo que você nunca as tenha visto antes.

em apenas um dia duas coisas se tornaram ainda mais nítidas na minha vida. a primeira delas é que é impossível viver sem os livros. sejam eles de ficção, romance, religioso ou até (e por que não?) autoajuda. eles são o mundo paralelo que possibilita nossa existência quando precisamos fugir mas não estamos suficientemente fortes para sair da bolha. a segunda e, talvez a melhor delas, é que preciso urgentemente de mais uma cerveja.

16 comentários

  1. Hello Michaas \o/
    Eu adoro a forma como você escreve, acho super legal e dá para ler tranquilamente sem me cansar, rs.
    Beijo, tem post novo lá tá? :*

    ResponderExcluir
  2. Adorei a continuação!! Claro que ela tinha que gostar de ler né. E eu entendo como ela se sentiu em não conseguir entender o que ele estava lendo. Também não consigo prestar atenção quando alguém lê pra mim. Também não sou boa para ler em voz alta :D
    Gostei mesmo da continuação, adoro o modo como você escreve, e esquecendo as letras maiúsculas as vezes, fica legal o texto :tup
    A o final? Como você consegue concluir o texto assim, fica tão legal (sou péssima pra escrever finais).

    Ps: não vou ler morte e vida, então pode contar a semelhança xD

    ResponderExcluir
  3. Nossa, sua visitas são tão calorosas, muito obrigado por isso! >.< E, caramba, que texto! *-* Tão envolvente e leve, divertido e íntimo! E quem me dera ter uma estante com tantos livros assim! HEHE' Um dia eu vou ter e alguém vai me pedir pra ler pra ela também u.u ioiaoiaoioia'
    Até mais ;*

    ResponderExcluir
  4. Oie tudo bem miga?
    Gostei da segunda parte do texto, vc é muito criativa =) poderia escrever um livro já pensou nisso? adorei ler o segundo capítulo =) parabéns pela criatividade =)
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Isso foi fofo, nunca tinha pensado dessa maneira sobre alguém ler algum trecho do livro em voz alta para que tenha outro sentido ou que seja interpretado de uma maneira um pouco diferente. Eu realmente amei essa ideia. E adorei o post.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  6. que texto lindo, amei, na verdade amo a forma que você escreve :)
    e respondo sua pergunta la do blog, eu sumi pois mês passo foi uma correria total e eu fiquei sem internet rs, mas prometo que não sumo mais!
    beijos chuchu!

    ResponderExcluir
  7. Ótimoo *---* agora só falta publicar seu próprio livro, hahaha
    Parabéns fofa. ^_^

    ResponderExcluir
  8. Oi Kelly, te indiquei para um selinho de perguntas lá no meu blog (dessa vez não esqueci hehe) http://lerimaginarcriar.blogspot.com.br/2012/09/selinhos.html

    ResponderExcluir
  9. Só podia ser minha prima mesmo neh?!
    kkkkkk Ficou muito bom... Já te dei a dica de seguir carreira de escritora mas vc n me escuta neh!! kkkkk


    ResponderExcluir
  10. Oláaaa ,
    ameei este post. Super incrível !
    Aliás, me encantei com seu blog, é super interessante e muito cute.
    Vol voltar aqui hein, pode me esperar.
    Poderia visitar meu blog ?!
    Se puder seguir me sentirei honrada ;*
    É só clicar no meu perfil.
    Beijinhos, fique com Deus ;*

    ResponderExcluir
  11. Ei Kelly!

    Caramba, você escreve muito bem, parabéns! Eu me perdi no texto, fiquei vidrada, rs.
    Senti medo quando ela ia falar qual o desejo dela, sério hahahahaha
    Que bom que a personagem é uma leitora voraz, me identifiquei hahaha

    Ah, eu terminei de ler A Culpa é das Estrelas *-* Que livro lindo, amei! E o final? Nossa, fiquei muito chateada como que aconteceu :(

    Bjoos'
    Lets

    ResponderExcluir
  12. Adorei o jeito como você escreve! Gostei muito mesmo do texto, adorei o post.
    Beijos.

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Que lindo Kelly!!!!
    E olha que isso pode acontecer heim; tem algumas coisas que vc escreveu, que ja aconteceu comigo x)
    Isso dava um livro heim ;)
    Tomara q venha mais capitulos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Nossa, que continuação. Amei, amei amei!!! Quem não se identificou com ela? Pelo menos na paixão pelos livros. E que dia lindo, simples e cativante ela teve. Olha eu quero ler uma continuação disso, fiquei ainda mais curiosa pra saber como a relação deles vai ser desenvolvida.
    Abraços,
    Amanda Almeida

    ResponderExcluir
  15. Hey querida, lembro a primeira vez que você comentou no meu blog e comentou sobre não ter achado uma maneira de me seguir.
    Bom, como prometido, eu corri atras e arrumei um jeitinho. Vai la no meu blog, logo a baixo do meu perfil, tem um campo pra você digitar seu email, você se inscreve, e vai receber minhas atualizações por email *-* ou pode me seguir tambem pelo Bloglovin, coloquei os 2. Corre pra você ser a primeira , rs

    Beijos ^_^

    ResponderExcluir
  16. Que texto! Eu definitivamente amo esse lugar. Mas odeio cerveja, rsrs

    ResponderExcluir

Olá, queridos! Muito obrigada pela visita!

Seu comentário será sempre retribuído, desde que ele não seja ofensivo ou contenha apenas propaganda. Não custa ler a postagem antes de dar sua opinião, custa? Se custar, me fale o preço e eu vou analisar bem se sua visita vale o que você tá pedindo. rs

No mais é isso, me sigam e eu sigo de volta. ^^

beijos, beijos

Topo