apresento-lhes: Bernardo Filgueiras .~*


oi amores! quanta saudade eu tô daqui! sério. planejo todo dia postar alguma coisa, mas ultimamente tenho estado tão cansada e sem inspiração que acabo não aparecendo. não acho correto vir aqui e escrever qualquer coisa só pra preencher espaço, mas ok, estou de volta! rs o fato é que eu tô devendo aqui uma entrevista que fiz com o Bernardo Filgueiras, esse fofo aí do lado que vai passar a postar aqui no blog a partir do dia que ele quiser. {?} kk mas enfim, ele me mandou as respostas já tem alguns dias e eu fiquei de postar, mas só me dava conta disso quando abria a página e via a foto dele ali ao lado, na sidebar. me desculpe, Bernardo, querido! ultimamente tenho mal me lembrado do meu nome! rs pois bem, vamos a uma breve apresentação do Bernardo, esse querido!! e, leitores, aguardem por postagens realmente interessantes aqui no blog, as dele! muito obrigada desde já pela presença aqui, Bernardo! <3 :D

-----------------------------------

É um prazer incomensurável estar neste blog postando como colunista. Fiquei muito feliz pelo convite e empolgado pelo desafio de escrever em prosa, uma vez que não é o meu forte. Sou poeta, amante de leitura de todo tipo (até bula de remédio, como dizia um amigo). Amo literatura brasileira, principalmente poesia. Não sou fã de auto-ajuda, nem de best-sellers, trilogias, etc... O que não impede que eu leia de vez em quando algum destes. Gosto de ler, escrever, beber cerveja, futebol, filosofia ( filosofar no buteco, no banho, nas horas vagas), academia e praticar esporte. Moro em Papagaio, MG (prefiro a grafia sem o "S", por motivos históricos que um dia terei o prazer de destrinchar neste espaço) minha cidade natal. Estou morando aqui provisoriamente com meu pai, uma vez que passei no vestibular da Unirio, para medicina e, portanto, mudar-me-ei para a capital do estado do RJ nesse ano. Gosto de estudar além das matérias ligadas ao meu curso, de: literatura, história e geografia. O que mais não se apresenta nesta abertura, será vista em meus textos, escritos com prazer, suor e verve. Espero assim. Abraços a todos, Bernardo Filgueiras.


Kelly Siqueira Borges: Poeresia, por Bernardo Filgueiras:

Bernardo Filgueiras: Um compêndio de ideias construídas sem muito amadurecimento. Poeresia foi uma válvula de escape planejada. Amadureci escrevendo esse livro, logo sou muito grato a minha obra que, modéstia à parte, ficou foda em muitas poesias, apesar de ter algumas ali que hoje eu não escreveria.


Kelly Siqueira Borges: O que te levou a escrever?

Bernardo Filgueiras: É uma história longa, por isso vou resumir aqui. À princípio foi devido a um sonho de escrever uma biografia do meu avô Hélio, falecido em 1973, ao qual dediquei o livro Poeresia. Como não sou muito bom para escrever em prosa, decidi escrever umas poesias para lembrar dele. Com uma aqui e outra ali, acabei desvirtuando o foco principal, mas fiz todas praticamente inspiradas por ele, por quem ele foi, onde quer que esteja.


Kelly Siqueira Borges: Como é o seu processo criativo? O que mais te inspira?


Bernardo Filgueiras:  Bem, meu processo de criação não tinha muito rumo. Um dia eu tinha inspiração de sobra, outros não tinha e, prudentemente, não atrevia a escrever. Outros dias não aceitava a falta de ideias e forçava alguma poesia. Após o lançamento de Poeresia, após ouvir muita opinião alheia e, principalmente, depois de ir à palestra do Ferreira Gullar (recomendo), aprendi que preciso escrever só quando der vontade. Tenho seguido mais essa fagulha interna que faz do poema um parto, como diz o próprio Ferreira. Creio que Gullar, amante da obra do escritor e poeta Rainer M. Rilke, pegou muito das concepções brilhantes desse poeta alemão escritas no livro Carta ao jovem poeta, que indico a todos vocês lerem. Enfim, hoje em dia meu processo criativo é mais livre, gosto de observar muito, digerir um fato, uma foto, uma lembrança, pra depois botar no papel. 


Kelly Siqueira Borges: Você teve alguma dificuldade em publicar seu primeiro livro?

Bernardo Filgueiras: Sim. Lançar um livro, além de caro é trabalhoso. O meu apoio foi pequeno. Poucos se envolverem duramente para tornar Poeresia uma realidade, mas não posso reclamar de ninguém. Quem ajudou fez de tudo para divulgar e apoiar o lançamento. Se eu for citar todo mundo que deu uma força posso esquecer de alguém, por isso não quero dar motivo pra isso. O livro ainda é pouquíssimo conhecido, não obstante, o objetivo principal não é a venda e sim a difusão da arte para incentivo à leitura, à escrita, à poesia em geral, tão esquecida e ignorada.


Kelly Siqueira Borges: Como tem sido a aceitação do público? O que os leitores tem falado sobre Poeresia? 


Bernardo Filgueiras: Os leitores de poesia são poucos ainda, como disse. Porém quem leu, no mínimo de uma ou outra "poeresia" deve ter gostado, pelo menos eu espero. Gostaria de ouvir mais críticas e sugestões... Para isso preciso que mais pessoas comprem o livro! (Risos)


Kelly Siqueira Borges: Quais são seus planos para o futuro? Já podemos esperar por um novo título?

Bernardo Filgueiras:  Planejo formar em Medicina e seguir carreira, mas sempre com a alma voltada para a poesia, meu combustível vital. Não tenho pressa para lançar o próximo livro. Já tenho um título (é segredo ainda), algumas poesias prontas (algumas postadas no perfil da rede social que mantenho atualizada de vez em quando) e, o principal, tenho vontade e material para inspiração, pois estou morando uma temporada no interior, na minha cidade natal, que eu amo tanto.


Kelly Siqueira Borges: Deixe um recado para todos os novos escritores e para aqueles que pensam em um dia escrever um livro.

Bernardo Filgueiras: Leiam o livro Carta ao jovem poeta, do Rilke. Pode te ajudar a ter mais experiência, ainda que não vá escrever poesia. Leia bastante para incrementar o seu vocabulário. Uma dica, agora mais pro lado administrativo do assunto: tenha dinheiro e tempo, você vai precisar. Há algumas editoras com preços em conta para nós iniciantes. Recomendo a Virtual Books, do meu amigo Jaime (www.virtualbooks.com.br) que possibilitou esse sonho se tornar realidade. Tentei lembrar de alguma frase de efeito pra fechar a entrevista mas não me lembrei de nenhuma. Além do mais isso é brega pra caramba... Abraço e boa sorte a todos vocês!
---------------------------

'além do mais, isso é brega pra caramba' kkkk gente, então é isso, deem as boas-vindas ao Bernardo ^^ e comprem Poeresia! vale muito a pena, eu garanto! para comprar o livro, entre em contato pelo e-mail bernardo_eae@hotmail.com.

mais uma vez, muito obrigada Bernardo, por nos presentear com suas palavras por aqui. muito obrigada mesmo! espero que seja um prazer pra você participar do blog, como sera para nós, leitores, ter você aqui como colunista. ^^

muito obrigada pelas visitas e comentários, pessoal, valeu! I <3 vocês! ^^ beijos beijos

7 comentários

  1. Não conhecia o escritor... Não vou dizer que talvez leio o livro dele porque não gosto de poesia. O único tipo de literatura que não gosto. Não consigo entender muito...
    Também gosto de filosofar no banho e nas horas vagas (melhor hora é quando vou dormir). heheh Gostei da entrevistas, e estou esperando seu post Bernardo!

    ResponderExcluir
  2. Depois desse entrevista deu muita vontade de ler o livro!
    Apesar de não me dar muito bem com poesia, sinto q esse livro vai abrir minha cabeça pra novas experiencias literárias!
    Parabéns Bernado pelo livro e pela entrevista e parabéns Kelly pelo blog!
    BJU PREMA!

    ResponderExcluir
  3. Oi Kelly!
    ainda não conhecia o autor e muito menos o livro rsrs, mas agora estou com vontade de ler esse livro, sempre gostei de poesia, pois na escola onde eu estudei o ensino fundamental sempre eramos incentivados a escrever o que quer que fosse, mas principalmente poesia já que existia um projeto especifico pra isso e então sempre amei esse gênero!
    beijos chuchu!

    ResponderExcluir
  4. Bom, eu agora fiquei curiosa. Sou fã de poesia,de boa poesia, dos poetas clássicos, simbolistas, ultra-românticos. Vejo poucos poetas do nosso tempo que escrevem boas poesias, estou curiosa mesmo para conhecer o trabalho do escritor. Parabéns pelo post.

    PS: estou sem tempo e inspiração para escrevr no Covil das borboletas...essa correria da vida não nos deixa escrever o que queremos né? bjinhos.

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Sua postagem foi divulgada no agregador Teia.
    Até mais

    ResponderExcluir
  6. Ei Kelly!

    O Bernardo é mesmo muito simpático! Tenho certezas que as colunas dele vão render bons frutos aqui pra o Cadê minha fluoxetina?
    Bem vindo Bernardo \o/

    Bjoos'
    Lets

    ResponderExcluir
  7. Obrigado pelos comentários a todos, meu e-mail está à disposição: bernardo_eae@hotmail.com Para maiores esclarecimentos, para quem quiser adquirir um livro, etc... Beijos às meninas e abraço aos rapazes

    ResponderExcluir

Olá, queridos! Muito obrigada pela visita!

Seu comentário será sempre retribuído, desde que ele não seja ofensivo ou contenha apenas propaganda. Não custa ler a postagem antes de dar sua opinião, custa? Se custar, me fale o preço e eu vou analisar bem se sua visita vale o que você tá pedindo. rs

No mais é isso, me sigam e eu sigo de volta. ^^

beijos, beijos

Topo